domingo, 16 de junho de 2013

Suicídio / Priscilla Odara

Pesquisas realizadas no mundo inteiro na área de psiquiatria revelam que cerca de 40% dos suicidas procuram os serviços de saúde dias ou semanas antes de tirar a própria vida. Segundo os estudos, eles chegam a estes locais sem especificar de que doenças estão sofrendo. Esse pode ser um último pedido de socorro. Um profissional de saúde preparado para enfrentar a situação tem condições de identificar o problema, ouvir a pessoa, encaminhá-la para uma terapia adequada e tentar evitar que o suicídio ocorra.
Calcula-se que um suicídio afete de 6 a 10 pessoas próximas à vítima, entre parentes e amigos. 
Segundo a Associação Internacional de Prevenção do Suicídio no Brasil, o profissional de saúde mental precisa estar atento e escutar o que o paciente tem a dizer. É importante uma empatia com esse paciente e que o profissional se disponha a ajudar a pessoa, caso perceba o risco do suicídio , observa. Na opinião do coordenador, por conta dos tabus que envolvem o assunto e pela ausência de discussão pública a respeito do tema, muitas vezes o profissional de saúde mental não tem a formação necessária para atender aquele paciente ou mesmo para identificar o problema. 
recomendações a familiares e amigos, para que estejam atentos a mudanças no comportamento das pessoas, que podem indicar uma propensão ao suicídio ou a outro transtorno mental. O isolamento e a redução drástica de atividades do cotidiano, desejo súbito de concluir alguns afazeres pessoais e deixar um testamento e sentimentos de solidão, impotência e desesperança podem ser indicativos.
**É muito importante aprender a se auto-perceber e não se permitir chegar ao fundo do poço gente, quando vcs perceberem que estão caindo por favor peçam ajuda, não esperem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário