terça-feira, 30 de novembro de 2010

Seja um Porto / Amarilis Adélio

Porto de chegada de almas cansadas,
seja porto para aqueles que andam perdidos pelo mundo,
e que precisam de um lugar tranqüilo para descansar o fardo que carregam.

Para ser porto de chegada, abrace, afague, receba, dê boas vindas.

Seja porto de saída, saída para quem precisar partir,
despedindo-se das ilusões, das dores, dos fracassos e decepções. 

Partindo para uma vida melhor, para isso, ajude, apoie, converse,
estenda as mãos, ouça, oriente. 

Seja também porto seguro,
para quem ama e precisa de você;
porto seguro para os amigos, para a família, para quem precisar.


Para ser porto seguro, esqueça o ego e pense no próximo,
esqueça as suas dores e amenize as dores do príximo.

Se você não tem outro motivo para ser feliz...
seja feliz por ser Porto!

Para receber aqueles que procuram por você! 

Existem pessoas que passam em nossas vidas como chuvas de verão...
outras deixam suas marcas que não esquecemos jamais;
por mais que lancemos velas para além mar,
teremos sempre um 'porto seguro' para descansar,
das longas jornadas...

Nestes últimos meses, vocês meus Amigos, têm sido meu
Porto Seguro... e Eu para vocês, podem ter certeza!!!
OBRIGADA, MEUS QUERIDOS AMIGOS!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Lei Maria da Penha / Ana Maria Bruni

Vítima não precisa de REPRESENTAÇÃO ! Boas Novas!



Lei Maria da Penha: vítima não precisa de representação formal para abrir processo


A 5ª Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu, ao julgar um recurso contra decisão do TJ-DF (Tribunal de Justiça do Distrito Federal), que a mulher que sofre violência doméstica e comparece à delegacia para denunciar o agressor já está manifestando o desejo de que ele seja punido. Assim, não há necessidade de uma representação formal para a abertura de processo com base na Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06).


A 3ª Seção do STJ (que reúne os membros da 5ª e da 6ª Turmas) havia decidido, ao julgar um recurso repetitivo em fevereiro de 2010, que a representação da vítima é condição indispensável para a instauração da ação penal. A decisão de agora é a primeira desde então que estabelece que essa representação dispensa formalidades porque já está clara a vontade da vítima em relação à apuração do crime e à punição do agressor.


O TJ-DF havia negado a concessão de habeas corpus para um homem acusado com base na Lei Maria da Penha. O acusado apontava irregularidades no processo, alegando que em momento algum a vítima fizera representação formal contra ele.


De acordo com a decisão de segunda instância, em nenhum momento a lei fala de impor realização de audiência para a ofendida confirmar a representação. Para o TJ, somente havendo pedido expresso da ofendida ou evidência da sua intenção de se retratar, e desde que antes do recebimento da denúncia, é que o juiz designará audiência para, ouvido o MP (Ministério Público), admitir a retratação da representação.

O relator do recurso na 5ª Turma, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, expressou ressalvas quanto à tese vitoriosa na 3ª Seção, pois, para ele, a lesão corporal no âmbito familiar é crime de ação pública incondicionada e não depende de representação da vítima para ser tocada pelo MP. Ele sustentou seu voto em decisões anteriores do STJ, no mesmo sentido de que não há uma forma rígida preestabelecida para a representação.


Do JusBrasil


Leia +


http://jeftenews.blogspot.com/2010/10/lei-maria-da-penha-nao-depende-de.html






http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2010/10/14/queixa-formal-nao-e-necessaria-para-acao-com-base-na-lei-maria-da-penha-diz-stj.jhtm






http://www.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/queixa-da-mulher-e-o-suficiente-para-acao-com-base-na-lei-maria-da-penha-diz-stj/view










“Ainda que se considere necessária a representação, entendo que esta prescinde de maiores formalidades, bastando que a ofendida demonstre o interesse na apuração do fato delituoso”, afirmou o relator do recurso ministro Napoleão Maia Filho. Segundo o ministro, esse interesse “é evidenciado pelo registro da ocorrência na delegacia de polícia e a realização de exame de lesão corporal”. O relator destaca que a decisão desburocratiza o processo e dimuinui a chance de coação da vítima.


...


CUMPRA-SE

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dica do Livro

"Infiel" - ayaan hirsi ali
A história de uma mulher que desafiou o islã.

Autobiografia de uma mulher extaordinária, que foi criada nos costumes tribais da Somália, sofreu mutilação sexual e espancamentos brutais na infância. Foi muçilmana devota, fugiu de um casamento forçado, tornou-se deputada na Holanda, clamou pelos direitos das muçulmanas,criticou Maomé e está condenada à morte pelo fundamentalismo islâmico.

"Infiel" mostra que uma mulher decidida pode mudar muito mais do que sua própria história!!!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Um tempo para si mesma

Hoje em dia, o mundo está às avessas. Todos os dias temos notícias cruéis e tristes. São crianças estupradas e espancadas. E o estuprador confesso não foi preso por causa da lei eleitoral. Tanto absurdo...tanta coisa a escrever, a comentar. Mas hoje resolvi diferenciar. Voltar-se um pouco para o meu interior e tentar descobrir algo bonito...Passei por uma psiquiatra e uma psicóloga, já que a depressão tomou totalmente conta de mim. Recebi a notícia que a violência que sofri (e foram várias), não irão me deixar em paz, mesmo perdoando, mesmo aceitando...Mas descobri coisas maravilhosas. Que a fobia social que me estanca, atrapalha tanto, não me deixa viver normalmente, não é somente uma condição psicológica e, sim, uma doença! É há remédio, que inclusive já estou tomando e sentindo uma pequena diferença para melhor! Não tenho vergonha de comentar isso...afinal sou a vítima e não a causadora do problema. A psicológa me explicou que cobro muito de mim mesma. Que em vez de cobrar, deveria respeitar os meus limites...E é isso que estou tentando fazer. Cuidar mais de mim mesma. Sair um pouco do mundo virtual e adentrar no mundo real. Até comecei a frequentar uma academia! Tenho saído mais, comecei a frequentar bares/restaurantes. Antes, só fazia pedidos para casa. Não é nada fácil começar essa mudança. A insegurança é imensa! Mas estou tentando. Principalmente pela minha família. E quem sabe, a Bya deixará de ter a imagem de um anjo e ficará com a minha imagem real. Esse é o objetivo...Sinto ter deixado abandonado o blog e o orkut. Mas a mudança me tornará mais forte e, assim, poderei ajudar mais e melhor. Agradeço o carinho de todos os amigos, principalmente àqueles que disseram: dê um tempo, você é capaz e vai conseguir. Se cuide primeiro. Obrigada, também, àqueles que não me esqueceram, mesmo eu estando tão distante...Aos poucos, a minha força está retornando. E farei de tudo para compensar o tempo perdido. Que bom que tantas pessoas acreditaram na minha recuperação e vitória! Foi graças a isso que consegui renascer. E espero, cada vez mais, poder ajudar... Beijos no coração, com todo o meu carinho.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Endereços eletrônicos e contatos úteis para informações e denúncia

  1.  Projeto Câmara - projetocamara@ig.com.br
  2. Abrinq / Ana Maria Wilhein - amwilhein@fundabrinq.org.br
  3. Andi - Agência de Notícias do Direito da Infância - eboudens2002@yahoo.com.br
  4. casadoadolescente@mdbrasil.com.br
  5. Competências Familiares - equipe@competenciasfamiliares.org
  6. Fundação Orsa - gsouza@fundacaoorsa.org.br
  7. UNICEF / Oficial de Projetos / Helena Oliveira Silva - hosilva@unicef.org
  8. Pesquisa em Violência / Maria Cecília Minayo - maminayo@uol.com.br
  9. Programa Resgate Cidadão / Mariangela Aoki - mariaoki@prefeitura.sp.gov.br
  10. Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social - mhcastro@sp.gov.br
  11. Ministério Público Democrático - mpd@mpd.org.br
  12. Ministério da Justiça / Guia Escolar Abuso Sexual / Rita Ippolito - rita.ippolito@mj.gov.br
  13. Pesquisa Violência - simone@claves.fiocruz.br
  14. Instituto Paulista de Sexualidade / Théo Lerner - theolerner@vertex.com.br
  15. Unicef - Fundo das Nações Unidas para a Infância - brasilia@unicef.org.br
  16. SIA / Sobreviventes de Incesto Anônimos - pavas@usp.br
  17. www.visaomundial.org.br
  18. www.vozlivre.com
  19. Campanha Nacional de Combate à Pedofilia - www.censura.com.br
  20. Unicef - www.unicef.org




quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Dica do Livro

ABUSO SEXUAL EM CRIANÇAS

Christiane Sanderson

Este livro, altamente informativo e com uma linguagem bastante acessível, oferece estratégias práticas para a proteção das crianças que todos os pais, professores e qualquer pessoa envolvida na vida de uma criança considerarão indispensáveis. Trazendo ao leitor um entendimento do desenvolvimento sexual normativo / típico das crianças, a autora capacita pais e professores a distinguir esse desenvolvimento normal do desenvolvimento sexual atípico e a reconhecer os sinais de advertência de pedofilia e de abuso sexual em crianças.
Quanto mais inteirados sobre o assunto e à vontade estiverem os professores e os pais, mais fácil será para eles entenderem e conversarem abertamente com as crianças sobre desenvolvimento sexual. Este livro oferece orientações sobre como falar sobre toques, comportamentos apropriados e não apropriados e sobre os perigos da pedofilia e de abuso sexual, considerando a idade das crianças. A autora apresenta informações sobre pedófilos, abusadores e meios de proteção contra suas tentativas de ganhar acesso a uma criança por aliciamento, aliciamento de seus pais e também outros adultos. Inclui, ainda, informações atuais sobre o uso da Internet e de telefones celulartes pelos agressores.

Você já se preocupou alguma vez com a felicidade?

Já envidou esforços para conquistá-la?

Quem de nós não deseja ser feliz? Salvo os casos patológicos, as pessoas estão sempre em busca da felicidade, ainda que não se dêem conta disso.

Mas, afinal, o que é a felicidade?

A felicidade varia de pessoa para pessoa, e em cada momento da nossa vida, ela pode assumir aspectos diferentes.

Quando estamos enfermos, a recuperação da saúde seria a nossa felicidade. E envidamos todos os esforços para conquistá-la.

Se estamos desempregados, um emprego se constituiria em felicidade, por algum tempo.

Se somos solteiros e desejamos unir-nos a alguém, nossa felicidade seria encontrar a pessoa certa, para compartilhar do nosso afeto.

No entanto, os que padecem fome e frio, encontrariam a felicidade num agasalho e na alimentação que refaz.

Já para o torcedor, a explosão de felicidade se dá quando a bola atinge o fundo da rede do time adversário.

Enfim, a felicidade tem tantas faces quanto os anseios de cada criatura, variando de acordo com as circunstâncias.

Certa vez, lemos uma história que nos levou a refletir em que consiste a verdadeira felicidade.

Foi narrada por uma moça que se sentia momentaneamente infeliz e, andando pela rua viu um homem puxando uma carroça.

Ao observar a cena, pensou: Pobre homem! Fazendo o trabalho de um animal irracional..

Isso é que deve ser infelicidade!

Pensando em ouvir de seus lábios lamentações e queixas, aproximou-se e lhe perguntou:

O senhor é muito infeliz, não é? Afinal, fazendo um trabalho desses...

Confessa ela que o homem fê-la mudar a paisagem íntima, ao responder entusiasmado:

Não, senhora! Sou uma pessoa muito feliz. Tenho saúde que nem mesmo preciso de um animal para puxar minha carroça.

Tenho força, consigo o meu sustento passeando pela cidade e ainda ganho saudações de pessoas bonitas como a senhora.

Não sou mais feliz, só porque não vejo todas as pessoas do mundo sorrindo...

* * *

Como podemos perceber, a felicidade consiste em cada um contentar-se com o que tem e fazer da sua felicidade a alegria dos outros.

Quando Jesus afirmou que a felicidade não é deste mundo, referiu-se à felicidade sem mescla, à felicidade plena.

Todavia, podemos viver com alegria, valorizando as coisas que temos e as conquistas morais que já logramos, sem infelicitar-nos com o que não possuímos e não está ao nosso alcance.

* * *

Muitos de nós buscamos a felicidade distante de onde ela se encontra.

A cada momento Deus nos oferece mil motivos para nos alegrar.

A oportunidade de viver, de ter uma família, amigos, trabalho...

A natureza, o sol, a chuva, a noite para o repouso, as chances de aprendizado em cada minuto que passa por nós.

Até mesmo os obstáculos do caminho são motivos de alegria, por nos ensinarem a superá-los, preparando-nos para a conquista da felicidade perene, que a todos nos aguarda.