quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS PEDÓFILO



I – Características dos Pedófilos Predadores:
Os pedófilos predadores são menos comuns do que os não predadores e são os que, primariamente chamam a atenção da mídia em casos ruidosos de rapto e assassinato sexual:
·        O abuso sexual ocorre dentro do contexto de rapto.
·        Expressão de raiva e hostilidade por meio do sexo, como estuprar uma criança.
·        Ameaçam a criança.
·        Ignoram o sofrimento da criança.
·        O abusador justifica o seu comportamento.
·        O abuso sexual é, com frequência, agressivo e sádico.

II – Características dos Pedófilos Não Predadores:
Pedófilos não predadores representam a maior proporção dos abusadores sexuais em crianças. Muitos desses (87%) são conhecidos pelas crianças que são abusadas por eles e pelos adultos em sua comunidade:
·        Acreditam que as crianças podem dar consentimento a atos sexuais, inclusive os bebês.
·        Apresentam crenças e pensamentos distorcidos.
·        Não oferecem escolha às crianças no abuso sexual.
·        Usam influência, poder e controle para formar relacionamentos.
·        Colocam a criança em uma armadilha.

III – Características do Pedófilo Compulsivo:
A atenção principal do pedófilo compulsivo é voltada para as crianças. Alguns homens conseguem que mulheres adultas desempenhem o papel de crianças. Os pedófilos compulsivos podem ser bastante sedutores (não necessariamente em relação ao sexo) para envolver a criança em uma “amizade especial”. Esse tipo de pedófilo com frequência molesta uma grande quantidade de crianças em sua carreira de abusador sexual de crianças, e esse número pode oscilar entre 150 e 200. O pedófilo compulsivo usa material erótico e pornográfico infantil para fantasiar e masturbar-se. Procura ganhar a confiança dos pais para ter acesso à criança ou pode pertencer a uma organização que lida com crianças, para assim, estar próximo a elas. O pedófilo compulsivo é, com frequência, aceito por membros da comunidade e é tido em alta consideração por adultos que não têm nenhum conhecimento de seu comportamento. Se exposto, membros da comunidade muitas vezes ficam chocados e reagem com descrença:
·        O interesse começa na adolescência.
·        Pode criar redes de pedófilos e círculos de sexo infantil e participar deles.
·        Gosta de fotografar crianças.
·        Normalmente não se casa, mas pode casar-se por conveniência.
·        Sabe como dar atenção a crianças e fazê-las se sentir especiais.
·        Está acostumado a viver sozinho ou com pais ou com a mãe.
·        Tem mais de 25 anos de idade, e, ainda assim, não tem nenhum relato de namoro com homens ou mulheres.
·        Adota o papel de pseudopai.

IV – Parapedófilo:
·        Menos crianças envolvidas.
·        Outros indivíduos vulneráveis ao risco: idosos, deficientes físicos.
·        Abuso geral de outros; homens abusam da esposa, de amigos e de funcionários.
·        Não faz distinção entre o que é moral e imoral.
·        Usa a força, a manipulação ou seduz as vítimas.
·        As vítimas podem ser estranhos ou conhecidos.
·        Um pai incestuoso pode ser esse tipo, que não distingue o que é imoral ou não.

V – Pedófilo Inadequado:
·        Tem problemas de lidar com a sexualidade e é incapaz de criar relacionamentos.
·        Pode estar sofrendo de deficiência mental, senilidade, doença mental.
·        Vê as crianças como não ameaçadoras.
·        É incapaz de lidar com a raiva; a frustração se acumula.

VI – Pedófilo Inadequado Compulsivo:
·        Costuma molestar estranhos ou crianças muito pequenas.
·        É uma pessoa idosa.
·        Fica vagando em torno de escolas, banheiros públicos, etc.
·        Pode fazer telefonemas obscenos para crianças.
·        Usa crianças prostitutas.
·        É solitário e isolado.

Fonte: Abuso Sexual em Crianças
          Christiane Sanderson

22 comentários:

  1. nada a verrrr e so safadeza...

    ResponderExcluir
  2. Pois é, muita safadeza desses pedófilos...

    ResponderExcluir
  3. É complicado chegar a uma conclusão, quais são as características para qualificar um agente pedofílico, uma vez que tal distúrbio se manifesta de forma única em cada ser. Ressalta-se que, o que é considerado em determinada nação como crime, em outro determinado país é considerado por sua cultura como fato normal. Certo, é que a sociedade brasileira não apoia o pedófilo em nenhum sentido, o que precisa ser feito, pelos pesquisadores forenses psiquiatricos e jurídicos, é buscar um tratamento adequado, para esse transtorno sexual. Afinal, violência não se resolve com violência.

    ResponderExcluir
  4. É verdade Maraiza. Cada ser é diferente do outro. Esse texto faz uma abordagem geral do pedófilo. Não podemos esquecer que nem todo pedófilo é estuprador. Esse livro ´r muito interessante, mas foi escrito por uma inglesa e baseado nas leis de lá...que são rígidas com esse tipo de violência. É preciso estabelecer aqui no Brasil leis que punem realmente o abusador / pedófilo / estuprador, para que essa violência não vire um fato comum no dia a dia, como já está acontecendo.

    ResponderExcluir
  5. Gostaria de compartilhar um situação. Tenho um cunhado de quarenta e poucos anos, sem amigos, estranho. O Conheço a 12 anos e nunca vi com homem ou mulher. Tenho uma filha de 07 de anos. Ele exagera no "amor" com ela, eu estou de olho. Abraça, beija, super protege, troca de papeis, ao invés de tio se porta como pai. Cuido para não ficar a sós com minha filha, estou de olho.

    ResponderExcluir
  6. Você está super certo (a)...é uma situação bem estranha e vc não deve deixar sua filha sozinha com ele. Se eu fosse você, pesquisaria se ele age assim mais com alguma criança. Com certeza deve ter problemas emocionais...por isso não devemos julgar antes de saber se ele é depressivo, carente. Mas todo cuidado é pouco...será que tem como vc pesquisar mais sobre a vida dele? Aliás, mesmo que ele não seja um pedófilo, algo poderá desencadear esse instinto. O melhor é ir tentando afastar aos poucos a sua filha dele e ficar atento às reações dela como: irritabilidade, insônia, transtorno alimentar, agressividade ou isolamento. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa me intrometer na conversa, mas não entendi direito a frase final, então a criança se for afastada do abusador sentirá falta do abuso e mudará o comportamento?

      Excluir
    2. Não, o que eu quis dizer que a criança muda de comportamento quando é abusada é que devemos tomar muito cuidado para não pre julgar as pessoas, pois já vi muitas pessoas terem a sua vida totalmente estragada por causa de um julgamento errado. Desculpe responder somente hoje, mas só agora apareceu o seu comentário. Abraço, Bya.

      Excluir
  7. fui abusada pelo meu pai ,ate hoje tenho vergonha de q os paretes comentem o caso.e como se eu fosse a culpada.sou muito desconfiada tenho filhos e nao deixo eles com ninguem nem tios ou vizinos ,isso me atormenta ha 24 anos,o abuso ,nao estupro,ele meu pai começou a me molestar quando minha mae morreu,eu tinha 9 anos ,foi horrivel me sentia suja ,culpada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pq culpada? qual a noçao que vc tinha? ele sim tinha por obrigação proteger-te e não tirar a unica coisa que uma crinça tem, a inocencia....me perdoe, mas ele é um filho da p..........Nunca tem vergonha, ao contrario, tenha coragem amiga, é dolorido e trabalhe em função de outras crianças, nada melhor do que a justiça divina, fica com Deus....E lembre -se, só quem conhece a dor, pode ajudar a outros.Bjs

      Excluir
    2. Muito obrigada pelo apoio. A culpa já deixou de existir e tento ajudar ao máximo, com isso me ajudando. Um grande abraço!!!

      Excluir
  8. É verdade, amiga...nos sentimos sujas, imundas...e esquecemos que fomos VÍTIMAS!!! E muitas pessoas que conhecem a nossa história nos tratam como culpadas...infelizmente. Sinto por você, pois sei muito bem o que é isso. Desejo a vc muita paz e harmonia e também muita força. Se quiser me escrever, o meu e-mail é: beatriza67@gmail.com
    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  9. Meu irmão foi acusado de abusar uma priminha de segundo grau e moverá uma ação por calunia e difamação. A menina tem 5 anos, está descobrindo sexualidade e apresentou comportamento diferente na escola, em casa brincando com o pai ela disse que estava com coceira na periquita e foi repreendida porque o pai não soube como lidar, enfim. Conversando com psicologa disse que os pais são ausentes e a criança apresenta comportamento de curiosidade, perguntou se tem alguma pessoa adulta e falou pra ficar atento. Ele acusou meu irmão de pedófilo sem ao menos conhece-lo, apenas pelo fato de ser casado e sem filhos. Muitas das vezes acho que é falta de cuidados dos pais. A menina é alegre, contente, ama ficar na casa da minha cunhada disse até que deveria ser mãe dela e meu irmão o pai. Nunca deu motivo de ficar sozinho com ela, sempre junto dos pais e parentes, sempre foi muito ético. Acho que deve-se tomar cuidado com as generalizações feitas. No caso dele vai gerar processo judicial por calunia e difamação, mexeu demais com o psicológico dele, está arrasado e a família também.

    ResponderExcluir
  10. Sinto muito por essa situação. É extremamente dolorosa!!! Essa menina precisa de terapia e passar por assistentes sociais. Às vezes a sexualidade de uma criança é reforçada com brincadeiras na escola ou com amigos.
    Também os pais dela precisam de terapia, para saber lidar com esse tipo de situações.
    É uma pena, pois o estrago já foi feito e desejo que seu irmão consiga recuperar a dignidade. Se a menina demonstra esse tipo de comportamento é porque quer chamar atenção e é preciso descobrir de o porquê disso. Abraço, Bya.

    ResponderExcluir
  11. buúáááááá´,,,búúúáááááááá

    ResponderExcluir
  12. Me atormenta o fato de minha filha passar por esse tipo de sofrimento, fui abusada na infancia e sofria sozinha com medo de ser obrigada a ir morar com o monstro (era assim que os pais procediam, a menina era culpada e exibida). Na minha adolescencia outro monstro ficava só no voyerismo, angustiante mais uma vez sofria sozinha, nao podia voltar pra aquela vida de miseria e abusos. Tive meu primeiro filho, fui trabalhar e o deixava com uma pessoa e ela permitia que os vizinhos mais velhos molestasse meu indefeso filho, desgraçada. Agora sofro com minha filha com 03 anos. Dia desses o tio dela que mora fora estava deitado na rede com minha pequena sentada no colo dele, fiquei louca e mais uma vez sofrendo sozinha, ele é um senhor exemplar. Tinha que haver a castração quimica para esses monstros destruidores da inocencia, queria poder escrever tudo que sentia e que sinto hoje em dia por causa desses traumas e voltar a confiar nas pessoas recuperar a minha estima, apagar essas marcas da minha alma que se refletem no meu corpo.
    um abraço combativo.

    ResponderExcluir
  13. AMIGA...IMAGINO A SUA DOR E O SEU DESESPERO. SE VC QUISER "CONVERSAR", ESCREVA PARA MIM...MUITOS FAZEM ISSO PARA DESABAFAR. MEU E-MAIL É beatriza67@gmail.com MUITA FORÇA PARA VC...UM GRANDE ABRAÇO!!!

    ResponderExcluir
  14. Fui vítima de abuso quando tinha uns 7 ou 8 anos não lembro bem a idade...Hoje sofro profundamente, tenho um filho de 2 anos, tive que deixar de trabalhar e sou vidrada nele 24 horas. É tudo muito difícil, o relacionamento com a família, não confio em absolutamente ninguém, se aconteceu comigo por um tio de e do convívio da família acreditar que não vai acontecer com o meu filho. Hoje faço tratamento psicológico...não sei se vou conseguir trabalhar um dia e deixar ele com alguém??? Tenho q colocar ele no colégio!!! É uma luta diária, carregarei para o resto da vida. De quem a culpa? O q devemos fazer??? Me sinto impotente para proteger o meu filho diante destes desgraçados, destruidores de vida, não sei nem que pena merecem, mas Deus é maior que tudo...Relatei apenas o mínimo do causou em minha vida. Deus nos ilumine e nos der forçar pelos nossos filhos,

    ResponderExcluir
  15. Amiga, sofri abuso por mais de 20 anos, pelo meu pai e com conhecimento da minha mãe. Sei que não é fácil, mas não podemos e nem devemos viver do passado. A vida segue...Tenho dois filhos: uma filha de 17 e um filho de 15. E não os superprotegi, porque a vida é dura e cruel.Mas nos os orientamos bem e eles sabem dos perigos da vida. Viver com medo é ruim e, em vez de aproveitar o crescimento do seu filho, vc vai perder partes importantes...que não voltam mais. Muita força para você. Abraço, Bya.

    ResponderExcluir
  16. Eu também sofri isso mas conheci a Jesus ele é que me da forças pra viver so sei dizer que me casei sou carinhosa carente mas me explodo com facilidade sofro com tudo isso é muito difícil! queria uma vida normal nas...

    ResponderExcluir
  17. Acho que nunca teremos uma vida normal...Abraço!!!

    ResponderExcluir