domingo, 24 de fevereiro de 2013

Texto postado no grupo pela Célia Portes

O mal não existe aos olhos de quem não quer ver... fecham-se os olhos tapam-se os ouvidos, não se ver, e nem ouvir falar sobre isso... A violência sexual e pedofilia. Muitas pessoas não fazem ideia de como podem ser traumatizantes passar por essa experiência brutal. Como pode ser difícil recompor o ânimo a fé na vida e nas pessoas. Como pode ser complicada e se tornar praticamente impossível uma reestruturação emocional e sentimental. Para quem sofre ou sofreu abusos, precisa ter envolta de si, pessoas com sentimentos nobres dotadas de sensibilidade, que sejam capazes de doar-se, que deem carinho, compreensão, paciência e notável amor verdadeiro, sem queixas, mas sempre sim esperançoso em harmonizar aquela difícil condição, pois acima de tudo, ele será o amigo verdadeiro que dá apoio e aparo sincero para todas as horas... Os casos de violência sexual contra a mulheres, crianças e adolescentes, tomam vulto e se propagam no momento acalorado da descoberta, mas poucas são as pessoas que acompanham o desespero e as condições precárias dos sentimentos feridos dessas vitimas, que custa a se recompor e, quando conseguem é com indescritível dificuldade. o estupro por ser um assunto delicado, tendo em vista o grau de intimidade, não é comentado. Todas as vítimas de furto se mostram, elas tem coragem de dizer "eu fui furtada"; todas as vítimas de agressão física se anunciam. As vítimas de estelionato não tem muita vergonha de se revelar. Entretanto, se elas trazem em si um trauma, um certo ressentimento, ou até pânico pelo que sofreram, imaginem a vítima de uma violência sexual.'' Existem inúmeros crimes onde a vítima se revela e comenta o ocorrido, mas a vítima do estupro se cala, silencia, carregando dentro de si os mais dolorosos sentimentos, as mais tristes lembranças de um ato tão cruel. Pela delicadeza do assunto, aqueles que com ela convivem, quando se tornam conhecedores do ato, o querem esquecer, não podem falar, e em alguns extremos, chegam a abandonar aquela criatura que carece de amor, respeito, compreensão e paciência. A pessoa que foi molestada se constrange, se isola, se condena, se desgasta na lembrança do experimento doloroso, no qual sofreu pela delinquência e desequilíbrio do outro. Flagelada na humilhação, que pela delicadeza do fato se envergonha de comentar, essa criatura de aflige em conflitos íntimos e secretos. Poucos são aqueles companheiros, amigos ou parentes, que se dedicam e se dispõe a amar, compreender, acalentar e procurar dar a ajuda que pode trazer o equilíbrio e a renovação. É muito difícil de encontrarmos, aquele companheiro, amigo fiel ou parente que entende e auxilia na recomposição do equilíbrio desse ser violentado que carrega dentro de si, os lastros de tristeza e dor. A respeito do sexo, podemos dizer que o ser humano ainda necessita de muita orientação, educação e controle. a pretexto do prazer compulsivo, existem criaturas desequilibradas que se manifestam na imposição sexual ao outro, violentando-lhe, não só o corpo, mas também a alma, os sentimentos e as emoções. o ato de violência sexual, rouba de sua vítima a tranquilidade, o alicerce do equilíbrio,na fé, na alegria, tirando-lhe o encanto e o sonho criador. dificilmente elas conseguem obter novamente a confiança nos outros, a afetividade no contato e voltar a compartilhar emoções no campo do relacionamento íntimo. Acredito que aqueles que através dessa violência, impõe essas dificuldades a outro recolhe pra si angustiosos momentos de aflição em vivências futuras. E aquele que na educação de um filho, ou na educação de uma criança a qual a educação lhe foi confiada, deixa-lhe faltar a orientação na área do campo sexual, que é o ensino do controle, respeito, dignidade e moral, será também responsável pela agressividade hedionda que ele cometer através da prática do estupro, tendo assim suas vivências futuras comprometidas... o medo que carrega dentro de si uma vitima dessa ato cruel, é difícil de ser superado, somente muito amor, carinho e compreensão, podem trazer de volta a verdadeira confiança. Poucos imaginam ou podem compreender o drama que se passa na mente de alguém que sofreu tal violência. Essa criatura precisa de amparo carinho, para que possa trocar os conceitos violentos que sofreu por confiança e afeto, sendo que para isso, seja necessário um longo tempo... (Célia Portes)

Nenhum comentário:

Postar um comentário