quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Poema de Mari Alexandre


Passa-se a vida inteira, tentando se encontrar,
se satisfazer, se compreender, se apreciar.
Sou difícil.
Sou interessante.
Sou exclamação e interrogação.
Gosto de coisas, deixo de gostar.
Encanto-me por pessoas, deixo de me encantar.
Meus interesses e desinteresses mudam rapidamente.
Preciso estar atenta para me acompanhar,
sem que me perca.
Sou custosa.
Sou exigente.
E encaixar o outro em mim, não é tarefa das mais fáceis…
O medo maior é de ter que mudar em mim.
Viver é desafiar o próprio EU.
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário