sábado, 1 de setembro de 2012

HOJE EU / Nina Castro

Reservo meu dia ao delito
Morte anunciada
Tensão. Medo e frio.
Ânsia louca, rasgar a carne,
costurar
Suor e lágrimas de prazer
Gritos absurdos no ar
busca por um sinal, um cheiro
uma gota de álcool...éter?
Olho em volta e encontro um
espelho
e ele me diz: calma
Fotografo minha mente
Meu corpo todo se arrepia...
Onde é o limite?
Vejo a imensidão. Nada é finito
Dona. Dona das minhas horas
Totalmente dona dessa loucura
dessa busca sem nome, sem data
Pelo espelho fotografo meu corpo
Minha mesa aparece ao fundo.
Vejo um iPaid
Agora reservo meu dia ao trabalho
Fui resgatada e sorrio. Ainda sou
uma boa menina.






Nenhum comentário:

Postar um comentário