quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Situações... / Bya Albuquerque

Situação nº 1: Um jovem negro, obeso e diabético está voltando, à noite, do trabalho para casa. Como se cansa com frequência, resolve descansar no banco de um parque. Nesse meio tempo, é espancado e xingado cruelmente por dois adolescentes  brancos, uma garota e um rapaz, ricos, altamente preconceituosos. A agressão é gravada pelas câmeras do parque. O rapaz é resgatado e levado para hospital, onde, por causa da diabete fica com o braço necrosado e perde 3 dedos...e o emprego.

Situação nº 2: No dia seguinte é achado o corpo de uma garota branca, ainda viva...espancada...violentada sexualmente e com um dedo cortado.

Situação nº 3: As evidências levam aos dois irmãos do garoto negro espancado no parque. Negros e obesos. A irmã tem 14 anos e o irmão, 16. Eles confessam a agressão e quando o garoto é inquerido de o porquê da agressão sexual, diz que a menina não parava de xingar eles de porcos obesos e termos racistas, gritando que eles não deviam se reproduzir.

Situação nº 4: A moça branca agredida era a mesma agressora do parque. As câmeras mostram o comparsa e tanto os jovens negros como brancos, vão presos.

Situação nº 5: Enquanto os advogados dos ricos conseguem a sua soltura, os dois irmãos negros vão ao julgamento. Nisso, descobre-se um site do rapaz branco altamente racista, incitando a acabar com gays...sapatões...negros...e obesos. Os negros obesos, inclusive, ele sugere que sejam mandados de volta à Africa, para servirem de alimento aos leões. A jovem rica era totalmente adepta às idéias do amigo.

Situação nº 6: Na audiência dos dois irmãos negros, quando o irmão agredido e mais velho vai depor, vê o riso de zombaria do garoto rico. No intervalo, ele vai em casa e pega uma arma, com a qual mata o garoto rico. Os irmãos mais jovens são soltos e o mais velho vai ao julgamento, onde é condenado, mas no dia da pronúncia do juri, ele não está na sala, pois está no hospital, super mal e teve de amputar a perna.

Situação nº 7: Uma assistente social vai até a casa dos garotos obesos, que, aliás, são ótimos alunos. Quando ela pergunta à mãe porque deixou os filhos chegarem nessa situação, ela "dá os ombros" dizendo que não tinha marido e sempre teve dois empregos e não tinha tempo para cozinhar. Os meninos foram criados na frente da TV, sempre comendo "porcarias".

Situação nº 8: O FBI investiga a garota rica e descobre algo surpreendente: até os 15 anos a menina foi obesa, sofreu muito bullyng e estudou num colégio só para garotas obesas, onde além das aulas normais teve reeducação alimentar, emagrecendo radicalmente a adquirindo uma grave fobia contra os obesos.

Situação nº 9: TODOS SAÍRAM PERDENDO!!!

É claro que essa história é fictícia, com um fundinho de verdade, tirada da série "Law & Ordem SVU". Mas facilmente poderia ser de verdade. Pois é muito mais complexo do que parece. Meninos que não são educados a se alimentar corretamente e para não gastar tempo indo ao supermercado e cozinhando, gastam um dinheirão com fast food. Menina que sofreu bullyng quase a sua vida toda e conseguindo um corpo perfeito, desconta as frustrações do passado nos outros. Menino rico que deve ter crescido com as babás, negligenciado pelos pais e tendo valores errados: de que o dinheiro pode tudo.
Sou mãe de dois adolescentes: uma menina de 16 e um menino de 14. Todos nós sabemos como é bom comer "porcarias" ou pedir comida pronta, mas os meus filhos tem a plena noção que uma refeição completa comprada no supermercado, sai mais barato que pedir uma pizza. É lógico que uma vez por semana nós damos ao prazer de uma comida pronta e gostosa. Em casa sempre têm chocolate, pipoca para microondas, bolachas, refri...mas é preciso advertir a criança sobre os problemas causados pela má alimentação. E não estou falando só sobre a obesidade. Mas também sobre subnutrição, diabetes, anemia...Cabe aos pais cuidarem disso, como também do conteúdo que os filhos acessam na internet. Lógico que não temos controle absoluto sobre isso, mas conversar, mostrar as consequências de uma brincadeira de mau gosto é o nosso dever.






Nenhum comentário:

Postar um comentário