segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Khalil Gibran

"Ainda ontem pensava que não era
mais do que um fragmento trêmulo sem ritmo
na esfera da vida.
Hoje sei que sou eu a esfera,
e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.

Eles dizem-me no seu despertar:
'Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia
sobre a margem infinita
de um mar infinito'.

E no meu sonho eu respondo-lhes:

'Eu sou o mar infinito,
e todos os mundos não passam de grãos de areia
sobre a minha margem'.

Só uma vez fiquei mudo.
Foi quando um homem me perguntou:
'Quem és tu?'".

"Não digas: Deus está no meu coração. Diga: eu estou no coração de Deus."

"Ainda ontem pensava que não era
mais do que um fragmento trêmulo sem ritmo
na esfera da vida.
Hoje sei que sou eu a esfera,
e a vida inteira em fragmentos rítmicos move-se em mim.

Eles dizem-me no seu despertar:
'Tu e o mundo em que vives não passais de um grão de areia
sobre a margem infinita
de um mar infinito'.

E no meu sonho eu respondo-lhes:

'Eu sou o mar infinito,
e todos os mundos não passam de grãos de areia
sobre a minha margem'.

Só uma vez fiquei mudo.
Foi quando um homem me perguntou:
'Quem és tu?'".

"Não digas: Deus está no meu coração. Diga: eu estou no coração de Deus."


2 comentários:

  1. Tão belo. Mas tão difícil de aplicar. É preciso acreditar num sentido pra se ter consigo e o resto a sua volta se tendo. Há o sentir, mas nunca o sentido se não se criar. Ainda estou latente. Não me criei.

    Saudades,
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Beijos, amigo...estou sempre no face da Bya ou na página do face Filhas do Silêncio...

    ResponderExcluir