domingo, 27 de novembro de 2011

Síndrome de Munchausen

Como funciona a síndrome de Munchausen

A maioria das pessoas tenta evitar ficar doente. Uma pequena porcentagem das pessoas,

 no entanto, aprecia a idéia de ir ao médico, submeter-se a exames e, até mesmo, 

fazer uma cirurgia dolorosa. Apesar de saberem que não estão doentes de verdade,

 as pessoas com síndrome de Munchausen fingem estar doentes porque estão em busca 

de atenção e compaixão.




Stockbyte/Getty Images
As pessoas com síndrome de Munchausen
costumam causar as próprias doenças
A síndrome de Munchausen é um distúrbio mental estranho, mas muito real. É o tipo mais severo de doença simulada, um conjunto de distúrbios em que as pessoas intencionalmente exageram, inventam ou causam os sintomas da doença.
É difícil saber exatamente quantas pessoas têm a síndrome de Munchausen, porque a maioria delas é especialista em esconder seu comportamento. Algumas adotam nomes falsos e vão para áreas diferentes para evitar serem descobertas.
Em 1951, o médico britânico Richard Asher descreveu o distúrbio pela primeira vez na revista de medicina The Lancet. Ele nomeou a doença em homenagem ao Barão von Munchausen, um oficial militar alemão do século XVIII, que contava histórias muito exageradas sobre sua vida.
A síndrome de Munchausen não é a mesma coisa que a hipocondria, um distúrbio em que as pessoas realmente acreditam estarem doentes. Aquelas com Munchausen sabem que estão saudáveis, mas querem estar doentes. Tambem é diferente dofingimento, em que as pessoas fingem estar doentes para obter ganhos financeiros (como ganhar um processo judicial) ou para fugir do trabalho.
Neste artigo, vamos dar uma olhada nos mistérios da síndrome de Munchausen, assim como na parecida síndrome de Munchausen por procuração, e descobrir por que alguém se machucaria ou machucaria outra pessoa apenas para conseguir atenção.


Síndrome de Munchausen

 por procuração

No fim da década de 1970, um pediatra britânico, chamado Roy Meadow,
 publicou a descrição de dois casos médicos desconcertantes.
 Em um caso, uma garota de 6 anos, chamada Kay, foi internada no hospital 12 vezes
 por uma infecção no trato urinário e medicada com oito antibióticos diferentes,
 tudo isso sem sucesso. No outro caso, um garoto de 1 ano e 2 meses, chamado Charles,
foi hospitalizado muitas vezes com sonolência e vômitos que não tinham uma causa
médica aparente. Meadow acabou descobrindo que os dois casos, apesar de
parecerem diferentes, tinham muito em comum. A mãe de Kay alterou as
amostras de urina para parecer que a criança estava doente.
A mãe de Charles induziu a doença dando grandes quantidades de sal ao garoto,

que acabou morrendo.




Jack Hollingsworth/Getty Images
Os pais com síndrome de Munchausen por procuração fingem que
seus filhos estão doentes


Meadow chamou essa doença, em que os responsáveis intencionalmente
 falsificam informações ou causam danos a seus próprios filhos para conseguir compaixão,
de síndrome de Munchausen por procuração. Por procuração significa
"por meio de um substituto". O responsável, e não a pessoa doente, é quem está
 fingindo ou causando a doença.
A síndrome de Munchausen por procuração também foi chamada de síndrome de Polle,
 por causa do filho do Barão von Munchausen, chamado Polle, que segundo relatos morreu
sob circunstâncias misteriosas próximo da época em que faria um ano.
 Alguns especialistas, no entanto, dizem que as informações históricas estão incorretas
 e o termo não é mais usado.
Essa doença é muito rara - existem apenas cerca de mil casos por ano, de acordo com
 as melhores estimativas. O cenário mais comum é uma mãe fingindo que seu filho está
 doente ou deixando a criança doente porque ela deseja a compaixão que recebe como resultado
 disso. A mãe pode mudar os resultados de exames, por exemplo, colocando uma substância
 estranha em um exame de urina, injetar substâncias químicas na criança, negar comida,
 sufocar a criança ou dar remédios para causar-lhe vômitos. Em seguida, a mãe insiste que
 a criança seja submetida a vários exames e procedimentos para tratar o suposto problema.
Como a vítima é uma criança, a síndrome de Munchausen por procuração é considerada uma
 forma de abuso infantil.
Uma pessoa que sofre de síndrome de Munchausen por procuração pode estar em busca
 de atenção porque sofreu abusos ou perdeu um dos pais quando era criança, por estar
 passando por problemas sérios no casamento ou uma outra grande crise de estresse.
 Ser visto como uma mãe ou um pai atencioso pela equipe do hospital é uma maneira
 de receber o reconhecimento que ela ou ele pode não ter recebido de outra maneira.



O verdadeiro Barão von Munchausen
 
O Barão Karl Friedrich Munchausen (1720-1797) foi um oficial alemão que serviu na cavalaria russa em várias investidas militares contra os turcos. Quando ele retornava, entretinha seus amigos com histórias de suas façanhas, aumentando muitos dos detalhes. Com o tempo, suas histórias se tornaram cada vez mais exorbitantes e por fim elas foram escritas em um livro, em 1785, chamado "The Surprising Adventures of Baron Munchausen" (As aventuras surpreendentes do Barão Munchausen). O ex-Monty Python Terry Gilliam transformou o livro em um filme, em 1988.

Sinais da síndrome de Munchausen

 por procuração

Os sinais da síndrome de Munchausen por procuração incluem:
  • criança que é freqüentemente hospitalizada com sintomas incomuns e inexplicáveis que parecem desaparecer quando o responsável não está presente;
  • sintomas que não condizem com os resultados dos exames da criança;
  • sintomas que pioram em casa, mas melhoram quando a criança está sob cuidados médicos;
  • remédios ou substâncias químicas no sangue ou na urina da criança;
  • irmãos da criança que morreram sob circunstâncias estranhas;
  • responsável que é preocupado demais com a criança e excessivamente disposto
  • a obedecer os profissionais da saúde;
  • responsável que é enfermeiro ou trabalha na área de saúde.






George Doyle/Getty Images
Os médicos muitas vezes não conseguem descobrir o que há de errado quando
 o responsável por uma criança­
sofre de síndrome de Munchausen por procuração



As vítimas da síndrome de Munchausen por procuração têm que fazer exames e tratamentos
desnecessários que podem ser dolorosos ou perigosos. Como o responsável parece estar
 preocupado de verdade, muitas vezes é difícil para o médico descobrir o problema antes
que seja tarde demais. Essa dificuldade em diferenciar a síndrome de Munchausen por
procuração de uma doença real já resultou em uma série de alegações falsas contra os pais.





Pegos pela câmera
 
Na década de 1990, o Dr David Southall, da Inglaterra, realizou uma experiência usando câmeras de vigilância escondidas em quartos de um hospital para flagrar as pessoas suspeitas de sofrerem de síndrome de Munchausen por procuração. Suas câmeras de vídeo capturaram imagens horríveis de mães sufocando e envenenando suas crianças. Dos 39 suspeitos que ele gravou, 34 foram flagrados machucando seus filhos e os outros cinco admitiram, depois, terem matado as crianças.Embora Southall tenha sido considerado o defensor das crianças em alguns círculos, ele foi difamado como inimigo das mães em outros. Muitos pais foram enviados para a prisão e alguns afirmam terem sido acusados injustamente, com base nas evidências que ele forneceu. Em 2004, Southall foi considerado culpado por um grave delito profissional depois de ter feito uma acusação falsa de que um homem havia matado seus filhos, e foi temporariamente impedido de trabalhar com vítimas de abuso infantil.


Tratamentos para a síndrome de 

Munchausen






George Doyle/Getty Images
Os médicos têm que fazer muitas
investigações para descobrir que um
paciente sofre de síndrome de Munchausen


Os dois tipos de síndrome de Munchausen são difíceis de serem tratados porque as pessoas que têm esses distúrbios não estão dispostas a admitir que têm um problema. Os médicos têm que investigar o histórico do paciente e realizar exames para confirmar se o problema é psicológico e não físico.
O tratamento da síndrome de Munchausen geralmente envolve aconselhamento psiquiátrico para modificar as idéias e os comportamentos que estão causando o distúrbio. Algumas vezes remédios podem ajudar a diminuir a depressão ou a ansiedade, se elas forem as causas.
Quando o caso é de síndrome de Munchausen por procuração, é importante afastar a criança do responsável antes que qualquer outro dano seja causado. A criança pode precisar de tratamento em razão das complicações físicas por ter se submetido a exames e procedimentos desnecessários e também pelas cicatrizes psicológicas do abuso.
Casos famosos
  • William McIlhoy conseguiu entrar para o Livro Guinness dos Recordes, mas ele não tinha muitos fãs no Serviço Hospitalar Nacional da Grã-Bretanha. Depois de 400 operações em 100 hospitais diferentes, McIlhoy acumulou uma dívida de US$ 4 milhões em contas médicas. A famosa vítima da síndrome de Munchausen morreu em um asilo em 1983.
  • Todos os nove filhos de Marybeth Tinning morreram entre 1972 e 1985, muitos deles sob circunstâncias misteriosas. A cada vez, ela fazia fielmente o papel de uma mãe atormentada e se aproveitava da compaixão dos outros. Quando ela finalmente foi presa, em 1986, admitiu ter sufocado suas crianças com um travesseiro. Como muitas vezes acontece com os cônjuges dos pais com síndrome de Munchausen por procuração, o marido dela não interveio, apesar de suas suspeitas. Quando foi entrevistado, ele disse que "você tem de confiar em sua esposa. Ela tem as coisas dela para fazer e, enquanto ela as faz, você não faz perguntas" [fonte: Crime Library]. Marybeth Tinning foi condenada por assassinato em 1987 e sentenciada a 20 anos na prisão.
  • Quando cinco das seis crianças de Waneta Hoyt morreram entre 1965 e 1971, os médicos suspeitaram de síndrome da mão súbita infantil. O caso apareceu em importantes revistas médicas. Quando o promotor William Fitzpatrick, de Nova York, leu sobre o caso, porém, teve algumas suspeitas. Sua investigação resultou na prisão de Hoyt, em 1994. Quando ela foi interrogada, sucumbiu e admitiu ter matado suas crianças em uma tentativa de fazê-las ficarem quietas. Hoyt foi condenada à prisão perpétua.

FONTE:  Stephanie Watson.  "HowStuffWorks - Como funciona a síndrome de Munchausen".  Publicado em 03 de outubro de 2007  (atualizado em 14 de fevereiro de 2008) http://saude.hsw.uol.com.br/munchausen4.htm  (27 de fevereiro de 2010)    

Nenhum comentário:

Postar um comentário