sábado, 5 de novembro de 2011

AMANHECI EM MIM / CECÍLIA MEIRELLES

Debrucei-me na janela

E o rosto da manhã,

Com seus cabelos dourados de sol,

Me acenou, sorrindo.



Senti o perfume inebriante

Das flores silvestres.

Abelhas colhiam o néctar matinal,

Orvalhado pela madrugada.



Eu estava triste,

Enclausurada nas minhas mágoas,

Perdida nos meus cismares.

Mas, o sentir toda beleza fulgente do dia,

Fugi da minha dor interior

E corri feliz para o jardim.



E o rosto da manha

Jogou sobre mim

O dourado de novas esperanças.

O vento me abraçou

Embalando galhos tenros.



E eu me senti nos seus braços,

Meu Deus!



Integrada à vida

E dos meus sonhos.

Amanheci em mim



Psicografia de Shyrlene Soares Campos

Fonte Livro "O Canto da Cotovia"

Nenhum comentário:

Postar um comentário