sábado, 20 de fevereiro de 2010

Vou...

Sonho com um amor que nunca tive.
Reflito sobre ele com tal paixão quase real.
Quase real, porque não é.
Meu amor sempre foi simbolizado por alguém imaginário que não existe.
Mas está na hora de abandonar essa ideologia.
Ideologia fantasiosa e angustiante,
De alguém que parece tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe.

Adeus, meu anjo.
Posso até nunca ter te encontrado, mas a sensação que tenho é que convivi com você a vida toda... sem te ter.
Por isso me despeço, tentando viver a minha vida, porque a nossa vida juntos já vivi a vida toda e nem sequer te encontrei.

Vou junto com a brisa afável que acaricia a superfície do mar, sem mágoa, nem dor. Vou apenas amando-o. Amando a você, que nunca tive, mas odiando a ideologia que eu mesmo criei.

(Webert Gomes)


Gente, os poemas do Webert são demais. Visitem o blog dele: www.webertgomes.blogspot.com

2 comentários:

  1. Quem já não sonhou com um amor que nunca teve, mas que a imaginação fortaleceu até demais. O difícil é você deixar este amor ir embora...

    ResponderExcluir
  2. ...rs...acho que é simplesmente impossível!!!

    ResponderExcluir