sábado, 16 de janeiro de 2010

Mundo Paralelo

Enquanto eu me "escondi" do mundo, digerindo o meu drama, eu nunca havia visto, entrado em alguma comunidade que abordava abuso sexual.
Ao abrir o meu blog e orkut, procurei as comunidades e fiquei horrorizada com o mundo paralelo que encontrei. Histórias de arrepiar. Pessoas se "afogando" em depressão e, muitas delas, em auto piedade. Pessoas que passam a vida somente focando o acontecido e deixando de viver, se abandonando. É muito, muito triste e degradante. Cada história é cada história. Alguns, como eu, lutaram, casaram, montaram sua família e tentam, de alguma maneira, sobreviver, apesar das doenças e da depressão. Outros, simplesmente pararam no tempo e vivem focadas no passado. No geral, todos nós temos uma coisa em comum: a tortura emocional, a vergonha e a depressão. Só que não podemos viver para sempre num mundo paralelo. É preciso voltar ao mundo real e lutar. Não podemos mudar o passado e não é sentindo pena de si mesmo que construiremos o futuro. O mundo paralelo nunca deixará de existir. É o mundo da violência, do abuso, das drogas, da rejeição. E não podemos deixar que as pessoas o esqueçam. Devemos sim mostrar às pessoas que é possível sair dele. Nunca abaixar a cabeça e aceitar certas situações. Sempre tentar mostrar o nosso lado forte e batalhador.
Nunca, na minha vida, pensei que fosse encontrar situações tão degradantes, tão horripilantes. E são essas situações que me instigam a lutar não só por mim, mas por essas pessoas. E mostrar a elas que a vida tem momentos bons e que, por mais dolorido que é, somos pessoas "especiais", que estamos aqui para mudar algo, para ajudar e ensinar, e que mesmo na dor, há esperança.

2 comentários:

  1. O mundo paralelo sempre continuará a existir e a sociedade sempre fechará os olhos para o mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente, Maria, com certeza. Abraços.

    ResponderExcluir