quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Molestamentos...abusos sexuais...pedofilia...estupros...fatos tristes presentes no dia a dia / Bya Albuquerque

Um caso recente reacendeu a polemica sobre o estupro (apesar de haver um a cada 11 minutos). E também esquecem que os garotos / homens sofrem o estupro. Juntamente com as outras comunidades, "Filhas do Silêncio" está nessa luta desde os grupos do yahoo (vai fazer nove anos). Faz pelo menos nove anos que estamos tentando conscientizar sobre o grande problema do abuso sexual e suas atrozes consequências. No caso dessa comunidade a maior importância é mostrar as consequências e como a pessoa deve se valorizar e se cuidar fisicamente e emocionalmente. Porque um abusado na infância cresce e vira um adulto lotado de vários tipos de problemas. Infelizmente, juntamente com o abuso físico sempre vem o abuso emocional. Não adianta discutir caso por caso...vítima por vítima. Temos que levar em consideração que a grande maioria das vítimas permanecem em silêncio. Pensar no fim do abuso sexual é utopia...assim como acreditar no fim da corrupção, drogas, violência doméstica, violência urbana. O que precisa ser feito é uma enorme conscientização de que o abuso sexual e psicológico é um crime hediondo. Que a omissão é crime!!! É preciso criar mais centros de apoio para as vítimas. É preciso criar condições para que a vítima possa voltar para vida social. No dia 23 de dezembro do ano passado uma mulher de 34 anos e dois filhos pequenos, que mantinha contato comigo, se suicidou. Foi novamente estuprada pelo amigo do pai, com o consentimento do mesmo, já que ele também a estuprava. A descrença e o descaso da mãe terminaram de "fazer o serviço". Não importa quantos são os algozes: 30 ou 1. A dor e a humilhação são as mesmas!!! Precisamos não nos omitir, a sermos solidários. Precisamos saber "estender a mão". E com isso aliviar um pouco da dor das / dos milhares filhas e filhos do silêncio. É preciso que a vítima volte a se sentir uma pessoa.

Todo o meu respeito pelo apresentador José Datena, pois apesar do seu jeito de ser, não só divulga casos de abuso sexual...como também pede o fim da omissão e conscientização da sociedade sobre esse crime.

Todo meu pesar pela vítima citada no começo do texto, pois a falta de respeito por si própria é de arrasar. Ficou menos preocupada com o estupro em si e mais na divulgação do mesmo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário