quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Relato de uma anônima

EU FAÇO QUESTÃO DE COLOCAR ESSE RELATO AQUI, RECEBIDO NESSE MESMO BLOG COMO UM COMENTÁRIO DE UMA MATÉRIA. MUITO TRISTE E EMOCIONANTE...BYA.


Olá, depois de passar por muitos médicos por um problema de visão distorcida sem diagnóstico ouvi de um neurologista muito competente você teve algum trauma? Bateu a cabeça?
Isso me deixou muito revoltada, tive que sair da faculdade de medicina para tratar minhas crises de enxaqueca, perca de memória e visão turva. Fui abusada durante muitos anos por homem e mulher. Minha mãe teve depressão pós parto e não cuidava de nossa família, na casa de meus padrinhos sempre acontecia meu padrinho de uns 40 anos passar a mão na minha vagina e seios.
Depois uma vizinha de uns 17 anos aproximadamente pedia para me levar para brincar e para minha mãe era um alívio eu tinha poriginal volta de 2 a 3 anos, então ela me beijava na boca e fazia sexo oral comigo, más eu lembro como se fosse hoje, isso passaram uns 3 anos até que um dia ela me levou no meio do mato e enfiou os dedos na minha vacina, eu desesperada de dor implorei que ela parasse, ela disse pra eu abrir bem as pernas que não doeria, então eu chutei a cara dela e não sei como consegui correr e escapar, foi o trajeto mais longo da minha vida, até chegar em casa esbaforida, gritei a minha mãe. "Estou machucada" então ela me deu banho e eu sentia muita dor, ela perguntou você deixou alguém mexer aí? E um não conseguia responder. Então ela passou uma pomada e disse você não pode deixar ninguém mexer aí. Eu fiquei dias com a região dolorida para urinar.
Depois a agressora não conseguia mais me pegar eu ficava em pânico e corria, até que ela disse roube cigarros do seu pai e me traga se não vou conotar a todos que você é uma putinha e se esfrega com as outras crianças. Então virei sua escrava e roubava as coisas pra ela, isso ela já era maior. Depois comecei a me masturbar com meus brinquedos, e tratar as bonecas como ela me tratava. Um outro vizinho me molestava também ao mesmo tempo que ela só que nunca me penetrou só se masturbava comigo. Um dia meu irmão viu e contou pra minha mãe, ao invés dela denunciar a polícia ou contar ao meu pai ela me espancou até eu desmaiar. Além de eu ser abusada e sofrer toda a infância apanhava por estar sendo abusada. Hoje sou terapeuta e não tenho medo da vida, estou escrevendo um livro e contando todos esses detalhes, essas coisas não podem passar em branco. Eu vou falar tudo, cansei de preservar a fachada de familia que tive e o silencio da minha mãe são difíceis de perdoar.

2 comentários:

  1. Triste. Mas felizmente conseguiu dar a volta pra cima. Parabéns pela sua coragem e força.

    ResponderExcluir
  2. Tatik...todos nós somos corajosos e vencedores!!!. Abraço
    6

    ResponderExcluir